É golpe? 5 PIBs menores que os desvios do PT na Petrobras

Share



Desde a segunda etapa da Laja-Jato, no início de 2014, peritos tentam estimar o montante desviado da Petrobras.

Entre estimativas e análises vindas de bancos como Morgan Stanley, resolvemos ficar com aquela dos peritos da PF, que identificaram, com base na delação do lobista Fernando Moura, estimativas de desvios de, no mínimo, 3% dos valores dos contratos firmados na Diretoria de Serviços da Petrobras durante a gestão de Renato Duque.

*Leia mais sobre esse assunto em http://goo.gl/igp6PT

Nós, da Politburo, fizemos então uma pequena lista de cinco países com PIBs próximos ao total mínimo desviado na diretoria de Serviços da Petrobras, na gestão Renato Duque – Indicado pelo PT para o alto escalão da empresa.

Algo entre R$6,4 bilhões e R$42,8 bilhões é o valor esperado do desvio, sendo o mínimo referente ao pagamento de propina e o máximo referente a superfaturamento de contratos em um ambiente sem livre concorrência.

Referência: O Antagonista –  http://goo.gl/mJYW1T

*Para todas as comparações foi utilizado o PIB nominal (desconsiderando a inflação).

 


 

5 – Gâmbia – $757 milhões – 2016

Banjul-Gambia_foto_aerea

Poucos países podem dizer que possuem um rio que os corta pelo meio, de uma extremidade à outra. E mesmo com o rio Gâmbia navegável e uma bela saída para o mar, o pequeno país africano, com uma população total menor que a do DF ( pouco mais de 1.800.000 habitantes segundo censo de 2013), não conseguiu, em 2015, produzir mais que Renato Duque em seu escritório de 30m2 na Petrobras. Também não conseguirá em 2016. Fica para a próxima, gambinenses.


4 – Cabo Verde – $1.747 bilhões – 2016

card_cabo_verde_140116

Nosso pequeno primo tem 24 cidades. Dessas, três são consideradas de médio porte. População de 513.000 habitantes.


3 – Libéria – $2,109 bilhões – 2016

liberiamonrovia

Estima-se que a “terra dos livres” produzirá, em 2016, mais de dois bilhões de dólares. Um PIB  pequeno, mas que reflete o passado de guerra civil e sua luta recente contra o Ebola, que vitimou 4.809 liberianos de 10.675 infectados (Economist).

Com o montante mínimo desviado da Petrobras para pagamento de propina seria quase possível financiar toda a projeção de custos para a saúde pública liberiana de 2013 a 2021 (Ministério da saúde da Libéria – Estudo). Sim, você leu isso.

Esperemos que logo os livres da Libéria ultrapassem a eficiência administrativa de Renato Duque.

 


2 – Butão – $2,209 bilhões – 2015

O Butão é o mais feliz país da Ásia. Mas, talvez, menos feliz que o PT:

Até 2020, mesmo com sua expectativa de crescimento econômico, o valor total do PIB do Butão ainda não superará o valor atual dos desvios ocorridos na Petrobras, segundo o FMI (FMI – GDP 2015-2020).

Tudo o que foi produzido no Butão, produtos e serviços, somando-se exportações e diminuindo-se importações, em 2015, desconsiderando a inflação do período, é bem menor que o total (propina e superfaturamento) esperado de desvio de dinheiro dentro da Petrobras, entre 2003 e 2012, e se encontra relativamente próximo do valor total pago apenas em propina (3%, ou R$6,4 bilhões).

A felicidade é para poucos, butaneses.


 

1 – República das Maldivas – $3,061 bilhões – 2014

Com IDH crescente, melhoras leves e contínuas no índice de liberdade econômica (Index of Economic Freedom – Heritage Foundation), crescimento do PIB em 6,1% (2014), um PIB per capita (esse, ajustado à inflação) igualmente crescente e bem posicionado no mundo (PIB per capita), as Maldivas ficaram com um PIB nominal (2014) um pouco acima do montante distribuído em propinas nos contratos da Diretoria de Serviços da Petrobras.


Vale lembrar que, para esta lista, desconsideramos países com PIBs próximos do valor máximo desviado da Petrobras, referente à falta de competição e livre concorrência entre empresas, que resultou em contratos superfaturados.


politburo

Inline
Inline