Wikileaks: 3 informações comprometedoras para Hillary Clinton

Share


Photo by: Jim Cole
Hillary Rodham Clinton (Associated Press/File)


Antes de mais nada, que fique claro que O Politburo apoia Trump.

Poucos jornais e sites de notícias brasileiros estão comentando os vazamentos dos e-mails de pessoas da campanha de Hillary Clinton e as estranhas conversas da candidata à presidência e de seus assessores. Até mesmo sites como O Antagonista, que faz constantes críticas ao jornalismo ideologicamente enviesado do Brasil, resolveu abster-se do trabalho de investigar os e-mails. Para suprir a demanda por essas informações, resolvemos trabalhar um pouco mais e cobrir as últimas notícias dos vazamentos pelo Wikileaks. Oferecemos, então, apenas para começar, 3 informações comprometedoras presentes nas mensagens.

*A campanha de Hillary não confirmou nem negou que os e-mails sejam de membros do grupo de suporte a Hillary. No entanto, Hillary já disse ter sido vítima de hackers e, quando confrontada com informações dos e-mails, ela respondeu às perguntas como se os e-mails fossem, de fato, de membros de sua campanha.


01 – A mídia com Hillary (às escuras)

John Harwood, da CNBC, Mark Leibovich, do NYT e Maggie Hamerman, da Politico, são citados em e-mails de John Podesta, presidente da campanha de Hillary Clinton à presidência. Harwood, por exemplo, mandou diversos e-mails requisitando entrevistas e, certa vez, chegou a enviar um e-mail intitulado “Cuidado”, referindo-se a Ben Carson, ex-candidato à Casa Branca nas primárias republicanas – “Ben pode te dar muito trabalho nas eleições (gerais)”, oferecendo, claramente, um conselho ao assessor mais próximo de Hillary. E-mails de Leibovich à diretora de comunicação da campanha, Jennifer Palmieri, sugerem aparente pedido de permissão para utilizar fragmentos de entrevista gravada entre Hillary e o jornalista, ao que a diretora responde com pedidos de edição da entrevista e a remoção de partes que podem ser prejudiciais à campanha de Clinton. Maggie Hamerman foi citada em e-mails como tendo “uma relação muito boa” com a campanha da democrata.

John Harwood também chegou a enviar e-mails com informações, como: “Ela foi bem aqui em Newton”, referindo-se à aparição de Hillary em trabalho de campanha. Em outros e-mails, chega a sugerir um almoço em Nova Iorque entre ele e John Podesta. Há ainda mensagens em que eles combinam uma possível entrevista. Harwood termina dizendo que com ele “será o tipo de substantiva, profunda, conversa sobre a economia que ela quer” (nota: a palavra “textured”, após a palavra “profunda”,  foi eliminada por não ter boa tradução direta ao português no contexto colocado. A frase traduzida refere-se à discussão sobre a economia que Hillary quer ver, quer planejar – onde ela quer chegar).

Até o momento, também foi apurado que e-mails trocados entre Marjorie Pritchard, uma editora do jornal The Boston Globe ( Boston Globe Op-Ed page),  e Podesta, dariam a entender que a data em que ela, Marjorie, estava marcando com a equipe de Hillary para que a candidata relatasse seu plano econômico, no jornal de Boston, seria perfeita para a aspirante a presidente e a daria “grande presença” por ser no dia seguinte a sua aparição em New Hampshire, estado americano.

marjorie

marjoriehelps2


02 – Catar e Arábia Saudita, financiadores do ISIS

Em e-mail cuja autoria seria, supostamente, de Hillary Clinton, Catar e Arábia Saudita, dois aliados americanos, são colocados como financiadores do grupo terrorista ISIS.

Original

podestaqatar

No quarto ponto relativo ao combate às forças do ISIS, é relatado que o Catar e a Arábia Saudita financiam o grupo terrorista de forma clandestina. O motivo poderia ser uma suposta tentativa dos dois países de dominarem o mundo sunita, segundo o texto.

podestaqatar2


03 – Brazile, presidente do Partido Democrata, teria ajudado Hillary com informações privilegiadas

A então presidente do partido democrata americano, Donna Brazile, vazou para a campanha de Hillary Clinton uma pergunta sobre a pena de morte que seria feita aos candidatos das primárias americanas do partido democrata, em debate.

donna

donnab-2

Em um outro momento, quando ainda era vice-presidente do partido, Donna Brazile vazou informação da campanha de Bernie Sanders a Podesta, chefe da campanha de Hillary, com a informação de que Bernie faria um “twitaço” relacionado à comunidade afro-americana. Podesta respondeu: “Obrigado pelo alerta sobre isso, Donna”.

donnaajudahi
donnahelps2


 

Seguiremos relatando tudo que encontrarmos nos e-mails vazados da campanha de Hillary Clinton.

Inline
Inline