Opinião: cartaz do Miss Bumbum ofende milhões de católicos

Share


*Resolvemos não reproduzir a foto ( (foto: Marco Pinto / MBB6)) no blog.

 

É difícil imaginar o que ocorreu no salto temporal de 521 anos entre as primeiras pinceladas que dariam origem à tela A Última Ceia, representação da Santa Ceia, e um simulacro grotesco dessa mesma cena, na qual Jesus e seus apóstolos são substituídos graficamente por oito mulheres idênticas e com rabos imensos. Quantas toneladas de bosta cultural foram derramadas nas mentes de pessoas como Cacau Oliver e Marco Pinto para que, cinco séculos depois, dois homens adultos não consigam ver a diferença de valor entre Jesus ceando com seus doze apóstolos e oito bundas sentadas sobre uma mesa?

Não estamos ofendendo a Igreja. Isso é uma representação    

– Cacau Oliver

Cacau Oliver, o assessor preferido das subcelebridades brasileiras e criados do Miss Bumbum, faz o que ele aprendeu a fazer bem: dar vida a polêmicas com histórias baratas. Ninguém deve acreditar que o sujeito, com ajuda do fotógrafo Marco Pinto, tenha arquitetado um plano com o objetivo de atacar a Igreja e a fé a que cerca de 123 milhões de brasileiros católicos dividem,  em um país com quase 11 mil paróquias e mais de 51 milhões de evangélicos. Cacau não deve ir tão fundo na análise de decisões em sua vida.  Não. O ex-assessor de Andressa Urach faz o absurdo sem saber como chegou ali. Ele simplesmente não consegue contemplar o sublime. Para ele, tudo pode ser objeto de zombaria. Para quem enaltece a bunda para viver, é compreensível a falta de estima pelo sacrifício. Talvez ele realmente não consiga entender ofensas como essa, do mesmo concurso, em 2011, por ignorância – foto. O criador de famosas, no entanto, não demonstra  ignorância quando o assunto é ganhar dinheiro usando a bunda dos outros.

Esperamos que Taty Mendes, representante do Distrito Federal e finalista no concurso, recolha o bumbum diante da agressão.

Inline
Inline